No Amapá, PRF divulga resultado da Operação Tiradentes 2017

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) iniciou o Feriado de Tiradentes com reforço no policiamento ostensivo e preventivo nas rodovias federais do Amapá. A operação começou às 00h desta quinta-feira (20) e encerrou às 23h59 do domingo (23). Neste período, policiais rodoviários federais concentraram a fiscalização em locais e horários de maior incidência de acidentes e crimes, de acordo com estatísticas do órgão.

Entre a quinta-feira que antecedeu o feriado e o domingo houve um aumento relevante do fluxo de veículos nas rodovias federais, incluindo ônibus e veículos de carga, fator que contribui para o aumento da violência no trânsito. A PRF intensificou as fiscalizações e ações educativas, com o objetivo de prevenir. A operação envolveu o efetivo da PRF em atividades operacionais e administrativas no estado.

Durante a operação foram priorizadas ações preventivas para a redução da violência nas rodovias federais, onde foram desenvolvidas atividades direcionadas ao excesso de velocidade, à alcoolemia ao volante, ao uso inadequado do cinto de segurança e de dispositivos de retenção para crianças e às ultrapassagens indevidas.

A PRF também realizou fiscalizações de motocicletas, com foco nas infrações que potencializam a ocorrência de acidentes e sua gravidade como uso e regularidade do capacete, equipamentos obrigatórios, sistema de iluminação e habilitação.

Os planejamentos para as ações da PRF fazem parte da Década de Ação pela Segurança no Trânsito 2011 – 2020, lançada pela Organização das Nações Unidas (ONU) e que o Brasil se comprometeu a adotar medidas para reduzir a violência no trânsito. O Brasil, assim como os demais países signatários das medidas da ONU, estipulou uma meta de redução de 50% das mortes no trânsito na década 2011-2020.

Educação para o trânsito – com foco na redução de acidentes, a PRF promoveu ações educativas que buscam sensibilizar motoristas e passageiros de seus papéis na construção de um trânsito mais seguro. Nas UOPs01 e 03, Macapá e Oiapoque respectivamente, condutores foram convidados a assistir a vídeos que mostram comportamentos inadequados no trânsito e as consequências dessas condutas. Os motoristas tiveram a oportunidade de fazer uma reflexão sobre suas atitudes e assimilar novos hábitos.

RESULTADOS DA OPERAÇÃO TIRADENTES 2017.
Ação 2017
Veículos Fiscalizados – 737
Pessoas Fiscalizadas – 1.351
Educação p/o Trânsito – Pessoas alcançadas – 461
Alcoolemia – Testes realizados – 388
Alcoolemia – Prisões – 0
Quantidade de Acidentes – 2
Acidente com ferido – 2
Pessoas feridas – 5
Pessoas mortas – 0
Radar Fotográfico – Imagens capturadas – 71

No ano passado, durante cinco dias da Operação Tiradentes (20 a 24/04/2016), a Polícia Rodoviária Federal contabilizou 3 acidentes, 4 feridos e nenhum óbito. Portanto a PRF durante 3 anos consecutivos vem mantendo o índice “zero” em mortes, que é sua meta.

Com informações: Núcleo de Comunicação Social

Em Macapá, escolinha de futebol promove campeonato infantil.


A escolinha de futebol Show de Bola promoveu um campeonato infanto juvenil, visando despertar na garotada o espírito esportivo e motivá-los na carreira.

A grande final foi no sábado (22), fechando a competição e destacando a participação de “pequenos” grandes craques.

No detalhe (foto), o jogador Gustavo Melo. Destaque do campeonato, que recebeu medalha de ouro.

Crônica: Só mais um dia !

Por: Washington Picanço – advogado

Nas Redes Sociais haviam centenas de adeptos inclusive candidatos a vereador, ex politicos, pseudo movimentos e até repórteres locais querendo uma “Entrevista ou uma casquinha” mas Ninguém compareceu! Não havia nenhum candidato a prefeito que pudesse mostrar que também não concorda com a situação politica na cidade. Porém nas redes sociais há vários assessores que pregam a mobilização em Prol da população da cidade.

Hoje houve palavras ao vento e um silêncio que só foi rompido com a comunicação do soldado ao seu superior “Não vai ter movimento nenhum”! Deste momento em diante deve ter se ouvido na residência dos politicos uma risada e o comentário sarcástico “não falei!”

Alguns dizem que chegamos ao fundo do poço, engano, o fundo do poço está muito acima de nós. Já banalizamos a morte, o horror, fomos além do fundo do poço quando mataram e torturaram nossa civilidade e nosso respeito pela data de hoje, quando em vez de lutarmos pelo nosso futuro nos preocupamos em qual imagem que alguém postou eu Vou compartilhar! Nosso futuro está escorrendo por entre os dedos e sequer temos conhecimento disto. Muitos postam fotos de fatos que já publicamos no site há muito tempo. As vezes me pergunto porque me dou o trabalho de escrever se ninguém lê?

Não se combatem coisas concretas.

combatem-se abstrações. Critica-se a politica e não o politico. Menciona-se o fato e abstrai-se os nomes. Defendemos o culpado por um medo que alguém que não conhecemos disse que existe, temos medo do invisível e indizível só porque alguém nos disse para ter medo. Somos marionetes no teatro politico ao qual julgamos ser controladores e tão conhecedores de suas regras.

Ir para as ruas para exigir que seu dinheiro seja bem empregado parece soar como uma ofensa. “Será que não tem alguém para fazer isto por mim?” Tem, o politico! e ele o fará, comprará mansões, carros de luxo e tudo o que você sonhava, mas você não verá nem a sombra deste dinheiro e sabe de onde ele vai tirar? Do seu empréstimo! Daquele que você confiou a ele, porque não queria se preocupar com politica.

Estamos mergulhados em nossa degradação Social até o pescoço. Perdemos nossos valores e o substituimos pelo “você”! A culpa é sempre do outro. Ele está sempre errado e eu certo! Mudar é dificil e toma tempo, este que para você é precioso demais, você o desperdiça muito mais prazerosamente sozinho em frente ao seu computado

Os eremitas – Dom Pedro Conti

                                    Dom Pedro José Conti

Bispo de Macapá

 Muitos eremitas moravam nas redondezas de uma nascente de água. Cada um tinha construído uma pequena cabana e passava o dia todo em silêncio, rezando e meditando. Recolhidos em si mesmo, invocavam o bom Deus. Este queria visitar os eremitas, mas não conseguia encontrar o caminho. O que via eram tantos pontinhos, um distante do outro, na imensidão do deserto. Um dia, por uma improvisa necessidade, um eremita foi atrás de um outro. No chão, ficou uma pequena trilha. O outro eremita devolveu a visita e a trilha s e aprofundou. Outros eremitas começaram a se visitar. Cada vez com mais frequência. Um dia, Deus, que os eremitas sempre invocavam, olhou lá do alto e viu uma teia de trilhas que unia as cabanas dos eremitas. Ficou feliz e disse: “Agora sim, tenho o caminho para visitá-los”.

No segundo domingo de Páscoa sempre encontramos o evangelho de Tomé, o apóstolo que, segundo o evangelho de João, estava ausente na primeira aparição de Jesus ressuscitado. Não acreditou na palavra dos demais. Oito dias depois, quando Jesus apareceu novamente e o convidou a conferir os sinais da paixão, Tomé acreditou e fez a sua bela profissão de fé: “Meu Senhor e meu Deus”. Podemos ficar incomodados, mas todos têm direito de perguntar a quem se declara crist&ati lde;o: – Quem é Jesus para você? -. Melhor ainda se são os filhos que perguntam aos pais. Em família, com simplicidade e confiança. É um bom sinal. Significa que não estão mais satisfeitos com a ordem de ir à Igreja ou ao Catecismo sem ter os pais ao seu lado. Estão crescendo. Estão ficando curiosos e entendendo que ser cristão não pode ser simplesmente um costume, uma “obrigação” de criança e adolescente. Com efeito, para alguns, não é nada mais do que isso, porque, quando crescer, tudo será esquecido.  Perguntas e questionamentos são sempre saudáveis, sobretudo, quando nos levam a buscar respostas que nos satisfazem e que, com certeza, serão diferentes segundo a etapa da vida onde estamos: criança, jovem ou adulto. Respostas infantis só podem servir às crianças. Aos adultos n&at ilde;o.

Sempre podemos ficar indiferentes ou achar tudo isso bobagem. Infelizmente, essa é uma resposta que muitos estão dando ao sentido de suas vidas. Outros, conscientes ou não, pedem ajuda. Hoje, televisão e internet parecem ter resposta para tudo. Sem dúvida nos poupam a fadiga de pensar, refletir e nos confrontar com os outros. Muitos param por aí. Não querem arriscar. Vão com as conversas da moda ou constroem uma própria imagem de Deus. Ser cristãos é outra coisa, porque ningu&eacut e;m inventa a fé cristã. Porque ninguém cria Jesus Cristo! A fé cristã é anunciada, comunicada, explicada e, sobretudo, testemunhada, vivida. Depois de entendida, pode ser acolhida como um dom, uma luz para a vida, ou não. Ninguém é obrigado a crer. Nos tornamos cristãos se acreditamos que isso importante para a nossa vida. Mas, de verdade, quem pode nos ajudar a cumprir essa tarefa sempre pessoal e arriscada? É a comunidade de Tomé e dos primeiros discípulos. É a comunidade daqueles que, nos lembra a primeira leitura deste domingo, tirada do livro dos Atos dos Apóstolos, desde o início eram “perseverantes em ouvir o ensinamento dos apóstolos, na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações” (Atos 2,42). É a Igreja que, antes de ser algo de estruturado e organizado, se nos apresenta nas nossas comunidades, onde nos conhecemos, nos respeitamos e nos ajudamos a viver na alegria e na participação a nossa fé. A comunidade cristã, por pequena e fraca que seja, é o antidoto contra o individualismo. É o único remédio contra aquela maneira de pensar de poder encontrar um Deus, que é amor-comunhão, cada um por sua conta. É verdade que a adesão à fé cristã sempre será e deve ser pessoal, mas não o é no seu conteúdo, naquilo que professamos no “Credo”. Se ficarmos isolados, podemos crer em muitas coisas, mas quem nos garante que acreditamos no Deus Pai de Jesus Cristo, confirmado pelo Espírito Santo? Precisamos de trilhas que nos unam. Somente juntos com os outros, podemos nós também acreditar e dizer a Jesus: “Meus Senhor e meu Deus!”.

Em Macapá, vereadora é impedida de fiscalizar posto de saúde do município.

A vereadora Patriciana Guimarães (PRB), passou por uma situação incômoda, na manhã de sexta-feira (21), em um posto de saúde do município de Macapá, capital do estado do Amapá.

A parlamentar cumpria o seu papel de fiscalizar a aplicação do erário em vários setores, no âmbito municipal, e, quando chegou na UBS do bairro Perpétuo Socorro foi impedida por uma servidora pública, quando pretendia ver se o número de medicamentos armazenado estava de acordo com a demanda.

Revoltada com a situação, e sem ter a quem recorrer de imediato, a parlamentar usou as redes sociais para desabafar e protestar. Gravou um vídeo mostrando a situação do posto de saúde, a falta de médicos para atendimentos e ainda, vários pessoas aguardando para serem atendidas.

“Como vereadora eleita, eu não pude fazer a fiscalização. Eu fui eleita pra representar o povo. Eu sou agente fiscalizador. Hoje é feriado. Eu tô trabalhando… Isso é um absurdo !”, exclamou a vereadora.

A vereadora disse que vai levar o caso até a Câmara de Vereadores de Macapá, e pedir a convocação do secretário de saúde de Macapá, para prestar esclarecimentos sobre a situação do posto e também, providências sobre o impedimento de um vereador exercer sua função dentro de um prédio público.

Prévia de inflação de abril é a menor desde 2006

Prévia da inflação oficial para abril tem ligeiro avanço e atinge 0.21%. É o menor índice para o mês desde 2006.

Calculado pelo IBGE, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo foi influenciado pelos grupos de alimentação e bebidas e saúde e cuidados pessoais. Com destaque para os alimentos. O tomate liderou o grupo, com alta superior a 30 pontos percentuais e foi seguido por batata-inglesa, com avanço de 11.6%, ovos, com 5,5%, e o leite longa vida, com 1.4%.

No acumulado de 12 meses, o IPCA caiu para 4.4%, três décimos abaixo do registrado no período anterior.

O indicador abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia.

Prefeitura de Macapá retira placas com anúncios de empreendedores em locais públicos

Foto: Ascom PMM

Não bastasse a crise que fecha diariamente empreendimentos na capital do Amapá, desta vez a prefeitura da cidade resolveu agir de forma rápida e eficaz na retirada de pequenos anúncios de empreendedores, que tentam sobreviver com seus pequenos negócios.

Fiscais da Prefeitura de Macapá, com um grande aparato, que incluía até agentes da Guarda Civil Municipal, realizaram a ação em vários bairros da capital.

A PMM se baseia Artigo 45 da Lei Complementar 054/08, que proíbe obstrução do passeio público. Porém alguns moradores dos locais onde houve a ação, reagiram. “Não tem nada haver. Isso é um absurdo. Uma placa anunciando que vendo marmitex. Que mal faz isso pra cidade?”, reclamou Maria do Rosário, do bairro Novo Buritizal, que ficou sem o anúncio de seu “ganha pão”.

Em outro ponto, da avenida Claudomiro de Moraes, um morador também protestou. “Por que o prefeito não asfalta as ruas ou tapa os buracos ?. Isso que precisa ser rápido. E não atrapalhar quem está trabalhando pra viver”, acrescentou.

A Secretaria Municipal de Manutenção Urbanística (Semur), responsável pela ação, informou através do site da PMM, que continuará na próxima semana, não apenas em canteiros centrais, mas também em cruzamentos, postes, paradas de ônibus, praças e rotatórias. Porém, não informou se vão retirar das calçadas, as mesas e cadeiras de restaurantes e lanchonetes que impedem o passeio público no centro de Macapá.

O “QUINTO DOS INFERNOS” – Washington Picanço – Advogado

Durante o Século 18, o Brasil-Colônia pagava um alto tributo para seu colonizador, Portugal. Esse tributo incidia sobre tudo o que fosse produzido em nosso País e correspondia a 20% (ou seja, 1/5) da produção. Essa taxação altíssima e absurda era chamada de “O Quinto”. Esse imposto recaía principalmente sobre a nossa produção de ouro. O “Quinto” era tão odiado pelos brasileiros, que, quando se referiam a ele, diziam “O Quinto dos Infernos”.

E isso virou sinônimo de tudo que é ruim. A Coroa Portuguesa quis, em determinado momento, cobrar os “quintos atrasados” de uma única vez, no episódio conhecido como “Derrama”. Isso revoltou a população, gerando o incidente chamado de “Inconfidência Mineira”, que teve seu ponto culminante na prisão e julgamento de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. De acordo com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário IBPT, a carga tributária brasileira chegou ao final do ano de 2011 a 38% ou praticamente 2/5 (dois quintos) de nossa produção. Ou seja, a carga tributária que nos aflige é praticamente o dobro daquela exigida por Portugal à época da Inconfidência Mineira, o que significa que pagamos hoje literalmente “dois quintos dos infernos” de impostos… Para quê? Para sustentar a corrupção? Os mensaleiros? A festa das passagens, o bacanal (literalmente) com o dinheiro público, as comissões e jatinhos, a farra nos 3 Poderes (Executivo/Legislativo e Judiciário)?

Nosso dinheiro é confiscado no dobro do valor do “quinto dos infernos” para sustentar essa corja, que nos custa (já feitas as atualizações) o dobro do que custava toda a Corte Portuguesa!

E pensar que Tiradentes foi enforcado porque se insurgiu contra a metade dos impostos que pagamos atualmente…!

Hoje em Macapá a Gestão do Prefeito Clécio nos presenteou desde 2015 com um Novo Código Tributário. Você sabe o que paga pro Município em tributos, taxas e contribuições de melhorias? Quais alíquotas de cada tributo? Clécio assim como a Corte Portuguesa meteu a mão em bolso e deve ser mandado para os “Quinto dos Infernos” também, pois majorou consideravelmente os Tributos Municipais com fito de elevar sua receita própria, mas continua falando que é o Prefeito da Crise e de a Prefeitura é uma terra atrasada. Clécio mente pra você..

Washington Picanço
Advogado

Em Macapá, vereador Dreiser Alencar defende Projetos de Lei que beneficia professores e idosos de Macapá

 

O vereador Dreiser Alencar (Rede Sustentabilidade) apresentou dois Projetos de Lei (PL,s) durante a sessão ordinária da Câmara Municipal de Macapá (CMM) desta quinta-feira, 20. Ambos foram lidos e seguem para apreciação das Comissões Permanentes. Após os pareceres das comissões, retornam a plenária para votação.

O primeiro, institui o Programa Municipal de Saúde Vocal e Auditiva dos professores da rede pública municipal. O parlamentar diz que o programa deve abranger assistência preventiva na rede pública de saúde, com a oferta de cursos teórico-prático para orientar os professores dos riscos de alterações vocais e auditivas. Prevê ainda, a realização de consultas preventivas com médicos especializados e atendimento nas Unidades Básicas de Saúde (UBS,s), quando houver necessidade.

Em outra matéria, Dreiser Alencar, propõe que os ônibus de Macapá sejam obrigados a parar fora das paradas oficiais para atender os idosos usuários do transporte público na capital.

Segundo a matéria, os motoristas devem obedecer à indicação de parada feita pelo idoso, mesmo que seja fora do ponto estabelecido. O objetivo é evitar que os passageiros idosos fiquem vulneráveis a violência, assaltos ou roubos, principalmente em trechos isolados ou escuros da cidade. O PL, estabelece que caberá a Prefeitura de Macapá e aos órgãos fiscalizadores o cumprimento da lei.

No Amapá, Bruno Mineiro encontra lideranças políticas, inspeciona obras e é homenageado pela Polícia Militar.

 

O empresário Bruno Mineiro cumpriu uma extensa agenda nesta semana, no sul do estado do Amapá, na região do Jarí. Embora sem mandato politico, o jovem empresário tem mantido contato permanente com todos os gestores estaduais e municipais e, dentro das possibilidades, auxilia as comunidades como elo entre a região e os poderes constituídos.

Em Laranjal do Jarí, Bruno Mineiro foi recebido pelo prefeito Márcio Serrão, pelo presidente da Câmara de Vereadores, vereador Walcimar Fonseca, e parte do secretariado municipal.

Durante o encontro, foram tratados assuntos relacionados ao desenvolvimento da cidade, principalmente no que tange a segmentos da saúde, educação, segurança e infraestrutura. Também em Laranjal, o empresário teve encontro com empresários que apostam na região e investem em negócios que geram dezenas de empregos diretos e indiretos, como o senhor Gilvan, dono de uma churrascaria.

Bruno Mineiro tem uma grande preocupação quanto ao futuro da juventude e defende maior incentivo aos jovens. Com este intuito, também esteve com líderes do “Movimento JC” e com a secretária municipal Samara e a conselheira tutelar Samara

Segundo Bruno, as questões levantadas em Laranjal do Jari serão encaminhadas as autoridades competentes a cada setor.

No retorno à Macapá o empresário e sua equipe de trabalho visitou algumas obras em andamento na região e comerciantes de produtos derivados da castanha.

Homenagem

“Respeito e compromisso com as causas sociais resulta em reconhecimento”.

Assim definiu o empresário Bruno Mineiro, na tarde desta quinta-feira (20), em solenidade no comando da Polícia Militar do Amapá, marcada pela promoção de 85 praças e 32 oficiais. O evento foi acompanhado pelo vice-governador do estado, Papaléo Paes.

Bruno Mineiro recebeu a medalha “Medalha do Mérito Tenente José Alves”, como forma de reconhecimento e agradecimento às pessoas que colaboram com o trabalho da Polícia Militar.