No Amapá, Ministério Público realiza operação de combate a compra de voto na periferia de Macapá.

mp2
Andréa Guedes – promotora de justiça – Foto: Pauta News

O Ministério Público Eleitoral no Amapá, iniciou na manhã desta quarta feira, 31, o monitoramento nas áreas de ressacas da capital Macapá, com o objetivo de combater a compra e venda de votos por parte de candidatos e leitores.

O trabalho é coordenado pela promotora Andréa Guedes, responsável pela fiscalização da 2ª Zona Eleitoral e deve se estender por todo o período das eleições, abrangendo todas as áreas de ressacas da capital.

“inicialmente, a ação acontecerá em caráter educativo, mas posteriormente, vamos atuar de forma mais rigorosa, fiscalizando e apurando todos os indícios de compra de votos”, explica Andréa Guedes.

Esta é a primeira vez que esse tipo de monitoramento é feito em Macapá. De acordo com o Ministério Público, a idéia surgiu pela necessidade de averiguação e investigação das inúmeras denúncias que desembarcam na Promotoria Eleitoral.

A ação começou pelo Congós e percorrerá os demais bairros nos próximos dias. O candidato, cabo eleitoral ou eleitor, flagrado comprando ou vendendo voto, poderá ser representado judicialmente e sofrer as sanções da Lei Eleitoral e demais legislações punitivas.

Consumo de gás cai quase 25% neste ano

 

gas de cozinhaO consumo de gás caiu quase 25% no primeiro semestre deste ano na comparação com o mesmo período de 2015. Os dados foram divulgados pela Abegás, a associação das empresas distribuidoras.

A Associação também indicou que as maiores quedas ocorreram nos setores industrial e de geração elétrica – este último perdeu 44% no acumulado de vendas. E a retração foi menor graças à demanda de junho, que apresentou uma alta de 6.7% em relação a maio.

A associação crê que a recuperação da economia pode trazer boas notícias ao setor nos próximos meses, principalmente com a retomada da demanda industrial e o aumento no consumo de energia, os maiores consumidores de gás do país.

IFAP: Campus Santana vai realizar o Cine Santana‏

CINE STNcampus Santana, do Instituto Federal do Amapá (Ifap), vai realizar nesta sexta-feira (02), às 8 h:30, o CineSantana, com espaço para debates e exibição do documentário: Amazônia – Heranças de uma Utopia. O encontroé aberto ao público, e vai acontecer no auditório do campus provisório, localizado na Rua Ubaldo Figueira, no bairro Nova Brasília.

De acordo com o idealizador do projeto, o professor Marcos Quintairos, o Cine Santana tem como objetivo estabelecer um local de cultura, lazer e estudo, aliando entretenimento ao conhecimento. “Vamos utilizar o cinema como instrumento de ensino e fomentação de discussão, buscando também uma maior integração entre os membros do instituto e comunidade”, resaltou Quintairos.

O documentário escolhido para a abertura do projeto, tem duração de 90 minutos, aborda as tentativas de colonização da Amazônia brasileira durante o século XX, como também expõe fatos, iniciativas e ações que decorreram em impactos ou mudanças ecológicas, demográficas, políticas e econômicas.

Inscrições

O evento é gratuito, mas para participar é necessário fazer a inscrição pelo site: www.doity.com.br/ifapsantana.Maiores informações pelo e-mail: ipex.santana@ifap.edu.br

Informações: Sâmia Cardeal, Jornalista do campus Santana

Prazo para sacar o abono do PIS referente ao ano passado termina na quarta-feira

 

pisssO prazo terminou em junho, mas, depois, foi reaberto pelo Ministério do Trabalho. Foi a primeira vez que os beneficiados receberam uma segunda oportunidade para resgatar o dinheiro.

O abono, no valor de um salário mínimo, foi liberado para trabalhadores cadastrados no PIS há no mínimo cinco anos; que em 2014 tenham sido registrados em carteira por pelo menos 30 dias; e recebido, em média, até dois salários mínimos por mês.

Para sacar, quem é cadastrado no PIS deve ir a uma agência da Caixa. Mas quem tem o Cartão Cidadão pode retirar o dinheiro nos caixas eletrônicos, nos postos do Caixa Aqui e até nas lotéricas.

Quem não sacar o abono até quarta perderá o direito ao benefício.

Artigo: Dom Pedro Conti

O cruzado e o peregrino

Pedro_Conti 

Dom Pedro José Conti

Bispo de Macapá

No tempo das cruzadas, um peregrino, que chegava de Compostela, cansado da viagem, decidiu ficar por um tempo na praia de Ribeira, abrigando-se numa gruta. Depois, intencionava prosseguir rumo à Terra Santa. Os pescadores espanhóis, que passavam por aí, davam-lhe pão e alguns peixes. Em troca o andarilho contava as suas aventuras e a história daquele Jesus por causa do qual tinha começado as suas andanças de penitência. Morava nas redondezas um malvado cavaleiro, que tinha lutado contra os mouros na Espanha e os turcos na Terra Santa. Talvez mais pelos espólios do que pela fé. Ele não gostava de peregrinos, considerava-os vagabundos. Assim, quis colocar à prova o pobre homem. Decidiu convidá-lo para o almoço. Mas, quando o peregrino chegou, o mandou embora. O mesmo fez no dia seguinte e continuou por um mês inteiro. Enviava um servo para convidá-lo e depois o despachava sem nenhuma comida. No final, foi tocado pela humildade do andarilho e lhe pediu perdão. O santo homem lhe disse: “Meu jovem cavaleiro, eu sou um peregrino e caminho em sinal de penitência. Ando por onde o Senhor me chama e nesses dias ele me chamou por trinta vezes até a tua casa. Entendi que, se o Senhor me mandava interromper a minha viagem para te encontrar, esta era a sua vontade. Era para te mostrar que a alma do peregrino não retém nada para si e confia somente no amor de Deus”. O cavaleiro deixou tudo e seguiu o andarilho rumo à terra de Jesus. Desta vez sem a espada, somente com o bastão de peregrino.

A humildade é, sem dúvida, a grande lição do evangelho deste domingo. Juntas vão também a gratuidade e a generosidade. Devemos reconhecer que as coisas não mudaram muito desde os tempos de Jesus e os seus ensinamentos são de uma atualidade espantosa. O conselho para participar de um evento ocupando o último lugar é tão simples que parece óbvio. Não está certo nos considerarmos sempre os mais importantes com direito ao destaque. Nunca deveríamos ser nós mesmos a nos achar os tais. Que sejam os outros – ou quem nos convida – a nos colocar no lugar apropriado, mas nunca nós mesmos. Tudo com simplicidade, sem ostentação. Com discrição, sem soberba. No entanto, sempre somos tentados a estar na frente e não nos preocupamos com a vergonha de, talvez, te r que deixar o lugar para outro mais importante ou querido do que nós.

Nem se fala de convidarmos em nossa casa os pobres. É perigoso. Podem se acostumar, podem exigir mais ainda. É muito melhor que o nosso grupo de “amigos” continue restrito e fechado. Entre nós nos conhecemos; temos os nossos segredinhos, as nossas articulações, os nossos negócios. Além disso, é mais fácil falar bem de nós e falar mal dos outros. Tudo, ou quase, funciona com a troca de favores: uma mão lava a outra, hoje eu ajudo, amanhã você me devolve. Nada é de graça, tudo tem preço ou compromisso de vantagens futuras. Vivemos num Estado de Direito, mas até na fila dos pobres, sempre aparece alguém mais pobre que passa na frente, mas não porque o seja de verdade. Simplesmente conhece alguém que conhece a pessoa certa para abrir as portas, nem que seja o faxin eiro do escritório do doutor. Vale tudo. Pobre mesmo é aquele que não conhece ninguém a quem pedir e prometer algo em troca.

Como ressoam desafiadoras para nós cristãos as palavras de Jesus: “Então tu serás feliz! Porque eles – os pobres mesmo – não te podem retribuir. Tu receberás a recompensa na ressurreição dos justos” (Lc 14,14). Seria muito bom, neste bendito Ano Santo da Misericórdia, fazer a experiência da compaixão, da solidariedade e da gratuidade, sem preconceitos, sem clubes fechados, sem pensar no que poderemos pedir e receber em troca. Precisamos aprender a confiar nas palavras do Senhor, quando seremos surpreendidos por ele.  Jesus nos dirá: “Foi a mim que o fizestes!”.  E nós, esquecidos, a questionar: “Quando, Senhor?” Que tal começarmos a fazer isso por um mês. Um mês só passa rápido, mas pode valer uma eternidade e, quem sabe, consigamo s tomar gosto com a bondade. Seremos felizes.

Comerciantes voltam a ficar confiantes na economia.

ECONOMIA
Arte: Fiesp

O Índice de Confiança do Comércio apresentou alta de 7,2 pontos em agosto comparado a julho, de acordo com a Fundação Getulio Vargas. O resultado fez o indicador passar de 74,9 pontos no mês passado para 82,1 pontos neste mês.

Melhorou tanto a avaliação sobre o momento presente quanto as perspectivas futuras. Aloisio Campelo, superintendente do Instituto Brasileiro de Economia da FGV, diz que o resultado de agosto consolida a tendência de alta da confiança do comércio em 2016. Mas, para ele, a distância recorde de 21 pontos entre os índices que medem expectativas e percepção sobre o momento presente mostra que o setor está com um grau de otimismo em relação ao futuro que se aproxima da neutralidade.

A coleta de dados para para a sondagem foi realizada entre os dias 1º e 23 deste mês, com dados de 1.208 empresas.

Divulgado o ranking das cidades mais violentas do Brasil.

CIDADE VIOLNETAO Nordeste concentra a maioria das cidades brasileiras com os mais altos índices mortes por armas de fogo. De um total de 150 municípios, 107 ficam na região, o equivalente a 2 em cada três cidades.

A constatação é o que mostra o Mapa da Violência 2016, elaborado pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais, que traz dados sobre os homicídios por armas de fogo no Brasil.

De acordo com o levantamento, cidades como Rio de Janeiro e São Paulo conseguiram reduzir os índices de assassinatos após investimentos em segurança.

Já no Nordeste, a taxa de homicídios passou de 16,2% 32,8% entre os anos de 2004 a 2014.

No estudo, a cidade nordestina mais violenta é Alagoas, seguida do Ceará, Sergipe e Rio Grande do Norte.

 

Macapá

violencia macapUma pesquisa exploratória feita pelo Conselho de Cidadãos Para Segurança Pública e Justiça Criminal gerou um ranking atualizado com as 50 cidades mais violentas do mundo em 2015, de acordo com a taxa de homicídios para cada 100.000 habitantes.

Macapá, capital do Amapá, aparece na 46ª. posição com uma taxa de 28,87 homicídios por 100.000 habitantes. Bem a frente de cidades como Cúcuta(Colômbia) e Torreón(México), onde há embates entre grupos de guerrilhas.

 

Sebrae-AP lança novo canal de relacionamento com empreendedores.

Caio Coutinho - Sebrae - Fale com um Especialista (2)O Sebrae no Amapá lançou dia 19 de agosto, mais uma ferramenta de relacionamento com o cliente, o Fale com o Especialista. Um canal de relacionamento via internet, que conta com um time de especialistas para orientar e tirar dúvidas nas áreas de empreendedorismo, planejamento, finanças, pessoas, organização, leis e normas, mercado, cooperação e inovação.

Caio Coutinho - Sebrae - Fale com um Especialista (0)De acordo com a diretora técnica do Sebrae, Isana Alencar, a instituição passa a se conectar ao empreendedor e diz que a forma de consumir informação mudou, e que antigamente quando a pessoa queria pesquisar algo consultava os livros, hoje é tudo muito instantâneo, virtual e em tempo real.

O atendimento é feito via chat, em tempo real, das 8h30 às 12h e das 14h30 às 18h, e por e-mail, via preenchimento de formulário de segunda à sexta-feira. O serviço “Fale com o Especialista” está disponível no Portal do Sebrae Amapá no endereço eletrônico www.ap.sebrae.com.br   ou por meio do link http://www.sebrae.com.br/sites/PortaISebrae/Contato

Informações e fotos: Ascom Sebrae

Dura realidade: Medicamentos estão em falta no Posto de Saúde do Bailique.

gta
As comunidades do Arquipélago do Bailique sofrem com a falta de medicamentos na única Unidade de Saúde, instalada provisoriamente na Vila Progresso.

Nesta quinta-feira(25), a aeronave do GTA-Grupo Tático Aéreo, foi até a localidade para resgatar um senhor, que foi picado por uma cobra e precisava de atendimento médico.

O que mais chamou atenção dos profissionais que estavam na ação, é que no Posto de Saúde não tinha soro antiofídico, para que fossem realizados os primeiros atendimentos ao cidadão, ainda no local.gta2

As fotos enviadas por um morador da Vila Progresso registraram o momento em que os profissionais do GTA realizavam a operação de resgate, ainda no campo de futebol da Vila.

O arquipélago do Bailique fica a cerca de 160 Km de Macapá, com acesso somente por via fluvial pelo rio Amazonas. Daí a necessidade dobrada em ter um suporte em medicamentos para atendimentos dos moradores, quando necessário.

Câmara de Vereadores de Macapá se manifesta sobre proibição do uso de aplicativos por carros particulares.

LEI 2 A respeito de matéria veiculada no site G1-AP, sobre a proibição do uso de aplicativos por parte de taxistas, declaradas pelo ex-presidente do Sintaxi, Rizonilson Barros, a Câmara de Vereadores de Macapá, esclareceu na manhã de hoje(25), que, a Lei Municipal 2219/2016/PMM, QUE DISPÕE SOBRE A PROIBIÇÃO DO USO DE CARROS PARTICULARES CADASTRADOS EM APLICATIVOS PARA O TRANSPORTE REMUNERADO DE PESSOAS NO ÂMBITO DO MUNICÍPIO DE MACAPÁ; aplica-se tão somente a veículos particulares, e não para taxistas, os quais são autorizados a utilizar aplicativos.

Segundo o Legislativo Municipal, essa lei visa garantir a concorrência leal no trabalho na categoria dos taxistas, bem como coibir o transporte clandestino de passageiros, no âmbito da cidade de Macapá.

Na sessão de terça-feira(23), na Câmara Municipal, um grupo de taxistas esteve no legislativo para tratar com os vereadores sobre a aplicação da Lei Municipal 2219/2016. Inclusive usaram a tribuna da Casa para as suas manifestações.

LEIOs representantes da categoria pediram apoio dos parlamentares para o cumprimento da lei, que proíbe o uso de carros particulares cadastrados em aplicativos para o transporte remunerado individual de pessoas na capital.

Durante o uso da tribuna, o taxista Rosinaldo da Silva Machado, da Cooperativa de Taxistas Autônomos do Aeroporto Internacional de Macapá, se pronunciou favorável ao texto da lei, pois o uso de tais aplicativos por parte de terceiros, incidiria diretamente na queda dos lucros dos taxistas legalizados.

A Câmara de Vereadores esclareceu também, que o PL que deu origem a referida lei, foi aprovado pela Casa e, posteriormente, encaminhado para o poder executivo realizar sua sanção.

Segundo a CMM, o atual prefeito municipal, não apresentou as razões de veto no prazo previsto na lei orgânica municipal e diante da “intempestividade”, a Câmara de Vereadores promulgou a referida lei.

O poder legislativo informou ainda que, caso o prefeito municipal de Macapá, entenda pela “inconstitucionalidade” da lei em comento, o mesmo pode “ajuizar a competente ação direta de inconstitucionalidade junto ao Tribunal de Justiça do Estado do Amapá, assim como o fez, nas leis municipais 2220/2016-PMM, que trata da gratuidade de estacionamento por até 30 minutos de permanência em shoppings centers do município de Macapá e a lei 2221/2016-PMM, que dispõe sobre a isenção de cobrança de taxa de estacionamento em shoppings, supermercados e outros estabelecimentos similares que possuam estacionamento cobrado. Leis, as quais beneficiavam milhares de munícipes e por força de decisão judicial, se encontram suspensas”. Diz a matéria enviada e imprensa.