Câmara Municipal de Macapá completa 47 anos de criação

Parte dos vereadores da XII Legislatura. Foto: Rosivaldo Nascimento

Neste mês de janeiro, a Câmara Municipal de Macapá (CMM) completa 47 anos de criação. O processo de instalação do Legislativo Municipal iniciou uma nova fase na política amapaense e em quase cinco décadas de atuação, a CMM tem contribuído com o desenvolvimento e a história da população macapaense.

O vereador Acácio Favacho (PROS), presidente da CMM – pela terceira vez consecutiva, aproveitou a data para se congratular com os demais parlamentares e a comunidade. “Reconhecemos o importante papel que a Câmara Municipal tem na defesa dos interesses do povo macapaense e sinto-me honrado em fazer parte dessa história”. Declarou Favacho.

Desde que assumiu a presidência da CMM pela primeira vez, Acácio Favacho tem dotado o Legislativo Municipal de uma infraestrutura necessária para atender os 23 vereadores, assessores, servidores da casa e a população em geral. Inclusive com reformas e adaptações para garantir maior comodidade a todos.

“Nesta XII Legislatura não será diferente. Vamos honrar o compromisso firmado com o nosso povo e, com uma grande responsabilidade de administrar mais uma vez esta Casa”. Concluiu o presidente Acácio.

A Câmara Municipal de Macapá ainda encontra-se em recesso parlamentar. A retomada das sessões ordinárias será na próxima terça-feira, 07 de fevereiro. Neste momento os gabinetes dos 23 vereadores recebem serviços de reformas e adaptações, por iniciativa de cada parlamentar.

Em Macapá, CTMAC e sindicatos unidos para combater o transporte irregular na capital.

 

Foto: Ascom CTMAC

O diretor-presidente da Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá, André Lima, recebeu na segunda-feira (30), representantes dos Sindicatos dos Mototaxistas e Taxistas. Na pauta, as novas estratégias que serão implantadas para a fiscalização do transporte irregular em Macapá.

André Lima assegurou que vai intensificar as fiscalizações contra a prática irregular de transporte de passageiros.

Transporte Irregular

O transporte irregular coloca em risco a vida dos passageiros devido ao estado precário dos veículos e à falta de compromisso dos infratores com questões regulamentadas, tais como inspeção veicular prévia, antecedência criminal dos motoristas, equipamentos obrigatórios (pneus, extintor de incêndio, cinto de segurança etc.) e, principalmente, a não observância aos direitos dos usuários. O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) proíbe a circulação de veículo efetuando transporte remunerado de pessoas ou bens, quando não for licenciado para esse fim.

Com informações: Asscom CTMac

No Amapá, servidores públicos vão receber valores descontados em folha, de forma irregular.

Luiz Carlos Rocha, pres da Comissão de Direitos e Defesa do Consumidor-OAB/AP

A presidência do PROCON-AP esteve reunida na manhã desta terça-feira (31), na Promotoria de Defesa do Consumidor-MP/AP, com o representante regional do Banco do Brasil, no estado do Amapá. O objetivo foi discutir sobre a problemática que envolve os servidores públicos e a instituição bancária.

Conforme denuncias de servidores, o governo não estaria repassando os valores à instituição bancária. Embora os devidos valores estivessem sendo descontados na conta do servidor público.

O advogado Luiz Carlos Rocha, presidente da Comissão de Direitos e Defesa do Consumidor-OAB/AP, informou por telefone a reportagem do PautaNews, que segundo o superintendente do Banco do Brasil (AP), Daniel Caldeira, pode ter ocorrido um erro no setor de processamento da folha de pagamento, dentro da instituição, e que, após análise minuciosa de cada caso, os valores de consignados em folha, serão estornados na conta dos servidores.

O governo do Amapá se pronunciou através de uma nota sobre o assunto. Veja a nota: 

 

Em Macapá, Associação de Ex-jogadores anuncia programação em homenagem ao estádio Glicério Marques

No próximo sábado (04), data de aniversário da cidade de Macapá, a Associação de Ex-jogadores do Estado do Amapá (Excrete), realiza programação denominada “SOS Glicério Marques”. O evento acontece de 8 às 12 horas.

Participam da programação, ex-jogadores de futebol, jogadores atuais, jornalistas, políticos, representantes do futebol amapaense, além de amantes do futebol.

Segundo o presidente da Excrete, Germano Tiago dos Santos Soares, o “Tiaguinho”, a proposta é reunir e sensibilizar o maior número de pessoas em prol da revitalização e preservação do Estádio Glicério Marques, considerado o maior patrimônio do futebol amapaense.

“Não podemos perder a identidade do nosso Glicerão. Por aqui já passaram vários atletas importantes e muitos nomes do futebol amapaense foram revelados aqui”.  Declarou.

A programação encerrará com um abraço simbólico ao estádio Glicério Marques.

No Brasil, desemprego avança em todas as regiões, diz Dieese

O desemprego avançou em todas as regiões do país em 2016. Foi o que apontou um levantamento desenvolvido pelo Dieese.

A região metropolitana de Salvador foi o local estudado que apresentou o maior crescimento da desocupação, passando de 19.9 para 25.2%.

Entre novembro e dezembro, porém, o contingente de desempregados subiu apenas no Distrito Federal e Fortaleza. Em São Paulo, Salvador e Porto Alegre, o número de desempregados recuou.

Já entre novembro de 2015 e o mesmo mês em 2016, o rendimento médio real dos ocupados caiu em todas as regiões pesquisadas, com o Distrito Federal liderando esse quesito, com 12% de baixa. Porto Alegre, Salvador e São Paulo apareceram na sequência.

No Amapá, governador Waldez visita empresário Altamir Mineiro, em Tartarugalzinho.

O governador Waldez Góes (PDT), cumpriu uma extensa agenda no interior do estado do Amapá, durante a semana passada. No roteiro, o município de Calçoene e comunidades, onde anunciou a interligação dos distritos de Carnot e Lourenço ao Sistema Nacional de Energia.

Ao passar pela cidade de Tartarugalzinho, Góes jantou na residência do empresário Altamir Mineiro.

Na oportunidade o empresário, que é reconhecido como uma grande liderança na região, pediu mais segurança para a cidade de Tartarugalzinho, que é passagem da BR 156 e dá acesso ao extremo norte do Brasil.

O governador Waldez Góes disse que tem grande respeito e admiração pelo empresário Mineiro. “Seu Mineiro foi o grande desbravador e maior empreendedor da região, gerando emprego e renda para a população”. Declarou.

Altamir Mineiro agradeceu a gentileza e disse que aposta em um Amapá com mais desenvolvimento e melhor qualidade de vida. “Estamos fazendo a nossa parte como empresário e gerador de emprego e renda. Acreditamos na gestão do nosso amigo Waldez e agradeço pela sua confiança em nosso trabalho”. Disse Mineiro.

A igreja demais cheia – Dom Pedro Conti

              Dom Pedro José Conti

Bispo de Macapá

Certo dia, um santo homem estava na entrada de uma igreja muito famosa, porque lá aconteciam celebrações e orações sempre com grande participação do povo. O homem, porém, ficava parado na porta e se recusava a entrar.

– Por que o senhor não entra? – perguntaram-lhe.

–  Não posso – respondeu.

– Mas, por que não? – insistiram. O homem respondeu:

– Esta igreja está cheia de uma parede a outra, do piso ao telhado, de palavras bonitas, de ensinamentos superiores, de intercessões, de invocações e orações de fieis bem preparadas, caprichadas, politicamente corretas. Não tem lugar para mim aqui dentro.

As pessoas não entenderam e ficaram olhando espantadas. O santo homem continuou:

– Celebrantes e fieis pronunciam com os lábios milhões de palavras. Mas no céu chegam somente aquelas que vêm do coração. Todas as outras ficam por aqui, mesmo, abarrotando a igreja de parede a parede, do piso ao telhado!

Na leitura do evangelho de Mateus, deste ano litúrgico, encontraremos vários discursos de Jesus. O primeiro é o chamado “discurso do monte”. Ocupa três capítulos e vai nos acompanhar por alguns domingos. No início está a página bem conhecida das bem-aventuranças. Jesus proclama felizes algumas categorias de pessoas. No entanto, mais do que agrupar os possíveis bem-aventurados e discutir onde nós e tantos outros iríamos ficar, precisamos entender a mensagem que, de imediato, parece um conjunto de contradições. Algumas bem-aventuranças ainda podemos entender. Faz bem ser mansos e puros de coração; é empolgante promover a paz, ter fome e sede de justiça; é gratificante ser misericordiosos. Difícil é aceitar que sejam chamados “felizes” os pobres, os que choram e os que são perseguidos e injuriados. Na realidade, todas as bem-aventuranças são um desafio à mentalidade do mundo, que exalta o dinheiro, a vida cômoda e os privilégios. A paz para o mundo é o silêncio comprado com o medo ou com a corrupção. A justiça é a lei do mais forte. A mansidão é a cabeça dobrada de quem não tem mais força para reagir. Essas situações não são de felicidade, mas de opressão, fruto de alienação ou de consciências adormecidas.

O que Jesus propõe é mais do que uma promessa, é um mundo novo em construção. Tudo começa com a primeira das bem-aventuranças, a pobreza em espírito. O ser humano tem surpreendentes capacidades, mas deveria reconhecer a própria “pobreza”, ou seja, a própria incapacidade de construir relacionamentos respeitosos da vida, dos direitos e da dignidade de todos. Após tantos milênios, continuamos a ser fascinados pelo poder das armas, do dinheiro, da mídia, da politicagem e da corrupção. O ser humano é extremamente criativo, quando quer passar na frente dos outros, custe o que custar. O caminho de Jesus para mudar tudo isso &eacu te; aquele de aprender a ver a vida e a história não com o olhar dos poderosos e vencedores, mas dos pobres, o olhar de quem está em baixo e não em cima da pirâmide social, sempre criticada, mas nunca derrubada.

Uma sociedade verdadeiramente humana será aquela onde as pessoas aprendem a enxugar as lágrimas dos aflitos. Onde se reparte o pão com os famintos e se pratica a justiça não por obrigação, mas pela alegria de ver o irmão feliz. Onde a paz é fruto do diálogo, do perdão e da solidariedade. As bem-aventuranças são o projeto do Reino de Deus que é Pai de bondade e misericórdia. É o Reino da Vida, sem mentiras e perseguições, porque a Verdade ilumina todo coração humano. Jesus não somente proclamou as bem-aventuranças, as viveu até o fim. Foi humilde, pobre, perseguido e morto. Enxugou l&aa cute;grimas, consolou os pequenos, perdoou prostitutas e cobradores de impostos. Abriu olhos a cegos, fez falar mudos, caminhar entrevados. Praticou o milagre da partilha. Encontrava a força na oração. Passava a noite rezando, na mais profunda comunhão com o Pai. Podemos nos perguntar se as nossas orações nos impelem a praticar as bem-aventuranças ou somente enchem as nossas igrejas e de lá nunca saem. Se não mudamos a vida as nossas orações não sobem para o céu.

Em Macapá, a saga de um cadeirante no bairro Marabaixo 4

O cadeirante Cleiton Castro da Silva, 38, residente no bairro Marabaixo 4 (Jardim América), zona oeste de Macapá, passa por uma verdadeira prova de esforço e superação todos os dias para chegar até o terminal de ônibus. O morador é obrigado a transitar com sua cadeira de rodas por dentro várias poças de água e lama até chegar a parte seca da rua.

Segundo Cleiton Castro, a situação no Marabaixo 4 está crítica. “O bairro está abandonado há muito tempo. As mazelas no Marabaixo 4 vão além das péssimas condições de nossas ruas e avenidas neste período de inverno”. Declarou.

O morador diz que todo período de inverno, aproximadamente 5 mil famílias residentes no Marabaixo 4, sofrem com o isolamento por conta das precárias condições das ruas.

“Levo em torno de 30 a 40 minutos no trajeto de casa até o terminal de ônibus. Minha cadeira de rodas fica completamente suja e eu fico muito cansado do esforço que faço para enfrentar a lama todos os dias”. Disse Cleiton.

Cleiton reclama também da ausência das autoridades públicas no bairro. Ele chama atenção dos vereadores, deputados estaduais, deputados federais e senadores para que visitem mais o Marabaixo 4 e busquem soluções para os problemas.

O cadeirante enumera outros problemas no Marabaixo 4. Como por exemplo, a falta de segurança pública, asfaltamento, energia elétrica, linha de ônibus, creches e escola municipal.

No Amapá, OAB inaugura a sala do advogado, no prédio do Tribunal de Justiça.

Advogados que atuam em Macapá ganharam um novo espaço para dar celeridade em seus processos judiciários. Trata-se da Sala do Advogado, que foi inaugurada no último dia 25 deste mês, no prédio do Tribunal de Justiça do Amapá.

O espaço pertence à Ordem dos advogados do Brasil (OAB/AP), presidida pelo advogado Paulo Campelo.

A sala do advogado servirá para receber advogados que se deslocam diariamente ao Tribunal em busca de informações referentes a processos que defendem. O local vai dar suporte para que o jurista desenvolva suas atividades com maior conforto e segurança.

Segundo a advogada Helena Monteiro, o espaço dispõe de um sistema de informatização interligado ao sistema “Tucujuris”, do próprio judiciário que permite peticionamento eletrônico, além de outros serviços de consulta de interesse dos advogados. “O espaço veio pra contribuir com o nosso trabalho, gerando mais agilidade, segurança e conforto para todos nós juristas”, arrematou Helena Monteiro.

O espaço é uma homenagem em memória ao advogado Emanuel Moura Pereira, pai do também advogado Emmanuel Dante. “Momento histórico para advocacia amapaense”, observou o presidente da OAB Paulo Campelo.

Em Macapá, vereador Auciney Maciel e os desafios do seu segundo mandato.

O desportista e empresário Auciney Maciel, foi reeleito vereador por Macapá para o segundo mandato.

O parlamentar defende um mandato popular e humanizado, com foco para a valorização do esporte, principalmente o amador que gera a oportunidade de descoberta de novos atletas de ponta como foi o caso do atleta de taekwondo, Venilton Teixeira.

Auciney Maciel disse a reportagem do site PautaNews, que vai atuar também na área social com o desenvolvimento de Projetos de Lei (PL) e de proposituras voltadas para os bairros periféricos.

O vereador começa seu mandato, este ano, defendendo a aprovação de uma série de requerimentos, indicações e PLs, pautados nas principais reivindicações das comunidades. “Vamos fiscalizar, propor e acompanhar as ações do Executivo Municipal, conforme preconiza o papel do vereador”, finalizou.