Acolher, proteger, promover e integrar – Dom Pedro Conti

 Dom Pedro José Conti

Bispo de Macapá

 

Novamente, neste final de semana, além do início do ano novo civil de 2018, algumas celebrações importantes do Ano Litúrgico se juntam. Para nós, católicos, o último dia de 2017 coincide com o domingo da Sagrada Família e o dia 1º de janeiro com a Solenidade de Maria Mãe de Deus. Também já faz 51 anos que Papa Paulo VI proclamou o primeiro dia de cada novo ano civil como Dia Mundial da Paz. A partir daquele 1º de janeiro de 1968, todos os Papas que o sucederam continuaram a manter essa tradição. Em homenagem aos 50 anos do Dia Mundial da Paz, completados em 2017, o Presépio da nossa Catedral está com algumas frases das mensagens dos Papas, sempre divulgadas nessas ocasiões. Todas elas s&atild e;o bonitas, têm denúncia e profecia; convidam os cristãos a serem bem-aventurados, porque construtores de paz. Talvez porque as palavras dos Papas, de alguma maneira, sempre incomodam católicos e não católicos, poucas pessoas se preocupam de lê-las integralmente e, na maioria das vezes, elas acabam no esquecimento.

A mensagem do Papa Francisco para 2018 tem como título: “Migrantes e refugiados: homens e mulheres em busca de paz”. Irei refletir um pouco sobre esse assunto, porque entre tantos nomes que foram dados à Maria está, também, o de Nossa Senhora do Desterro, lembrando aquele momento da vida da Sagrada Família que, no evangelho de Mateus, é apresentado como “a fuga para o Egito” (Mt 2,13-15). É bom nos lembrarmos disso. Entre os milhões de migrantes e refugiados tem famílias inteiras com seus filhos, muitos ainda crianças de colo. Tantas outras crianças crescem nos acampamentos ou, quando acolhidas, em países totalmente novos, com costumes e culturas bem diferentes dos seus lugares de origem. Como será essa no va humanidade, dividida entre as tradições, também religiosas, das suas famílias e o novo ambiente onde crescerão? O veremos nos próximos anos. Será uma geração mundial capaz de diálogo e tolerância entre si e com os demais ou cada etnia buscará, além da própria justa sobrevivência, a supremacia numa disputa acirrada por direito à terra, à água, à tecnologia e ao poder econômico? Não devemos ter dúvidas de que a humanidade toda colherá o que está semeando nestes anos que estamos vivendo, nesta onda de migrações que, segundo a mensagem do Papa Francisco, alcançam os 250 milhões de seres humanos. São muitos e não podem ser esquecidos. É urgente, portanto, uma “corrente de apoios e beneficência”, diz o Papa. O problema é mundial e nenhum pa&ia cute;s deve pensar de estar isento de responsabilidade ou, pior, achar que muros, arames farpados e metralhadoras, resolvam a questão. A paz é sempre uma conquista laboriosa e “artesanal”. Deve ser construída com as mãos e os corações ao mesmo tempo.

Papa Francisco denuncia o medo e aqueles que fomentas esse medo contra os migrantes e refugiados, ou seja, todos aqueles que veem somente o tamanho da responsabilidade na acolhida deles. Os migrantes e refugiados “não chegam de mãos vazias”, trazem também as suas capacidades de trabalho, a sua coragem e os seus sonhos de paz. Após tantos debates e infindáveis discussões, é preciso ação. Segundo o Papa Francisco a estratégia deve combinar quatro ações: acolher, proteger, promover e integrar. É fácil perceber que todas essas “ações” devem ser de fato interligadas. Colocar em campos de refugiados milhares de pessoas não resolve a vida delas e nem da região onde estão hospedados. Sem acompanhamento e proteção de leis adequadas, muitos migrantes, para sobreviver, ficam vítimas da exploração, do trabalho escravo, do tráfico internacional de drogas, armas, órgãos e pessoas. A promoção humana dos migrantes e refugiados pede também a integração, a inculturação e o diálogo. Somente assim as diferenças de línguas e costumes podem ser superadas e a paz construída. O contrário disso seria “a capitulação – da política internacional – ao cinismo e a globalização da indiferença”. Vamos unir as forças. Uma nova humanidade desponta. O planeta pode ser, sim, a “casa comum”, a casa de todos, mais felizes com a paz mundial.

Em Macapá: Servidores municipais continuam ocupando o prédio da Câmara de Vereadores

A Câmara Municipal de Macapá (CMM) continua ocupada por dezenas de manifestantes, a maioria servidores da educação, saúde, fiscal e da guarda municipal de Macapá.

Os servidores ocupam o prédio desde a tarde desta quinta-feira, 28, quando interromperam a última sessão ordinária do ano – depois que os parlamentares aprovaram parecer de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) à Lei Orgânica do Município.

Votação- Após a votação, que contou com 16 votos a favor da PEC, e seis contra, os servidores municipais invadiram o plenário da CMM, quebraram parte de uma das galerias, cadeiras e jogaram ovos nos vereadores. A Guarda Civil Municipal (GCM) e a Polícia Militar foram acionadas para conter os ânimos dos manifestantes.

O presidente da CMM, vereador Acácio Favacho (PROS), suspendeu a sessão ordinária para resguardar a segurança dos parlamentares, servidores da casa e dos próprios sindicalistas envolvidos na confusão.

Quebra-quebra- O quebra-quebra protagonizado pelos servidores municipais, a maioria professores, também impediu a votação da Lei Orçamentária Anual (LOA) e do Plano Plurianual.

Os manifestantes passaram à noite no prédio e até às 11h20 desta sexta-feira, 29, o prédio continua ocupado pelos sindicalistas.

 

Acácio Favacho é reeleito pela quarta vez presidente da Câmara Municipal de Macapá

O vereador Acácio Favacho (PROS) foi eleito pela quarta vez consecutiva, presidente da Câmara Municipal de Macapá (CMM). A eleição para o biênio 2019/2020, aconteceu nesta quarta-feira, 27.

Acácio Favacho foi eleito por unanimidade com 23 votos. A nova diretoria é composta pelos vereadores Acácio Favacho (PROS) no cargo de Presidente, Ruzivan Pontes (Solidariedade), 1º vice-presidente, Yuri Pelaes (PMDB), 2º vice-presidente, Caetano Bentes (PSC), 1º secretário e a vereadora Bruna Guimarães (PSDB), 2ª secretária.

A nova diretoria será empossada em janeiro de 2019. O presidente reeleito Acácio Favacho destaca que continuará  com uma administração célere e transparente, focada no cumprimento da Lei Orgânica do Município e do Regimento Interno da CMM.

“Nossa gestão sempre foi e será democrática. A Câmara Municipal de Macapá não é do presidente Acácio Favacho, não é da mesa diretora, mas de todos os 23 vereadores que compõem esta legislatura e estão aqui representando democraticamente o povo de Macapá”, observa.

Em Macapá: Garçom se transforma em Papai Noel e faz a alegria das crianças do bairro Pantanal

Cerca de 300 crianças do bairro Pantanal, zona norte de Macapá, tiveram um Natal pra lá de especial este ano. Nesta segunda-feira, 25 (Dia de Natal), o  garçom Edinei Soeiro Fernandes, 42, se transformou em Papai Noel e divertiu a criançada do bairro onde mora.

Segundo Edinei Fernandes, a programação começou às 17 horas, com distribuição de brinquedos, bombons, brincadeiras e entretenimento. A iniciativa faz parte do projeto “Natal Solidária”, que acontece há 14 anos no bairro. “A alegria das crianças é a minha inspiração. Mesmo com todas as adversidades que essas crianças enfrentam, muitas das vezes, a fome, a falta de escola ou moradia, mas elas nunca deixam de sorrir”.

Edinei Fernandes agradeceu a Deus pela realização do projeto, aos amigos colaboradores, empresários, comerciantes, políticos e a comunidade em geral que todos os anos colaboram com o projeto, fazendo o natal de centenas de crianças, muito mais feliz.

A programação aconteceu na Avenida Nicolau Libório (A principal avenida do bairro Pantanal).

Em Macapá: Diplomação dos Vereadores do projeto Câmara Jovem será nesta sexta-feira

A solenidade de diplomação dos 23 vereadores jovens de Macapá acontece nesta sexta-feira, 22, no plenário da Câmara Municipal de Macapá, com inicio às 14 horas. Eles foram escolhidos por eleição direta ocorrida nas escolas públicas e particulares do Estado.

A iniciativa faz parte do projeto Câmara Jovem, idealizado pelo vereador Acácio Favacho (PROS), presidente da Câmara Municipal de Macapá (CMM). O parlamentar ressalta que a eleição foi um verdadeiro exercício da democracia, tanto para os candidatos, quanto para os estudantes/eleitores que tinham a opção de participar ou não do pleito.

Segundo Acácio Favacho, os Jovens Vereadores terão a mesma oportunidade que qualquer parlamentar com mandato. “Eles vão exercer a democracia plena com direito a defender requerimentos, indicações e proposituras, também”, destaca.

A eleição envolveu 23 escolas, onde 62 alunos disputaram o pleito. Aproximadamente 25 mil eleitores estudantes estavam aptos a  votar. A eleição recebeu apoio Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que cedeu as urnas eletrônicas, diretores de escolas e de instituições que representam os estudantes no Estado.

No Pará: Professores de Breves mantêm greve contra a redução de salários e cortes de benefícios da categoria

Professores da rede municipal de Breves (PA), mantêm a greve iniciada há mais de uma semana. Mesmo com ordem da Justiça do Pará determinando a desocupação do prédio da Câmara Municipal de  Breves (CMB), os professores continuam acampados no local.

A justiça determinou prazo de 24 horas para a saída dos ocupantes, caso contrário, o Sindicato dos Trabalhadores de Educação Pública do Pará (Sintepp) pagará multa de R$ 1 mil por dia.

Segundo um dos organizadores do movimento grevista, os professores vão resistir até que a Prefeitura Municipal de Breves (PMB) aceite discutir com a categoria o Projeto de Lei que, segundo os educadores, se aprovado pela Câmara de Vereadores, vai cortar salários, benefícios e reduzir o ano letivo no município.

O PL, que prevê os cortes é defendido pelo prefeito de Breves, Antônio Augusto Brasil da Silva, o “Toninho Barbosa” (MDB). Segundo os professores grevistas, o PL, reduz benefícios salariais previstos no plano de cargo, carreira e salário.

A Prefeitura de Breves nega que irá reduzir os salários dos professores, alegando que o Projeto de Lei, é para garantir o pagamento da folha de pagamento da educação.

 

 

Em Macapá: Vereadores debatem a aprovação da LOA

A maioria dos vereadores de Macapá participou da audiência pública desta quarta-feira, 20, que debateu a Lei Orçamentária Anual (LOA) para  2018/2021.

A vereadora Patriciana Guimarães (PRB), que presidiu o debate, esperava uma participação mais ampla dos sindicatos de classes e lideranças comunitárias. “Estamos decidindo o orçamento do Executivo Municipal para os próximos quatro anos. A população e os sindicatos dos trabalhares municipais precisa se apropriar daquilo que iremos aprovar aqui”.

Positiva– Patriciana Guimarães destaca que a audiência pública foi positiva. Durante o debate, os parlamentares trataram sobre a aprovação da Lei Orçamentária Anual para o ano que vem e do Plano Plurianual (PPA) de 2018/2021.

A vereadora ressalta que para as categorias que compareceram a audiência pública, o debate serviu para esclarecer e tirar dúvidas a respeito do orçamento e do PPA, a ser aprovado pela Câmara Municipal de Macapá nos próximos dias.

Participaram do debate os vereadores: Patriciana Guimarães (PRB), Cláudio (PDT), Ruzivan Pontes (Solidariedade), Rayfran Beirão (PR), Dreiser Alencar (Rede Sustentabilidade), Bruna Guimarães (PSDB), Odilson Nunes (PRB), Auciney Maciel (PSDB), Diogo Senior (PMB), Japão Baia (PDT), Marcelo Dias (PPS), Jorielson Nascimento (PRP), Victor Hugo (PV), Professor Rodrigo Gomes (Rede Sustentabilidade), Nelson Souza (Rede Sustentabilidade), Gian do Nae (Avante), Rinaldo Martins (PSOL) e o vereador Diego Duarte (Podemos).

Em Macapá: Idoso morre carbonizado em incêndio de imóvel no Jesus de Nazaré

O aposentado Domingos Moraes de Souza, o “Curió”, de 86 anos, morreu carbonizado na tarde desta terça-feira, 19, em sua residência no bairro Jesus de Nazaré.

O Corpo de Bombeiros informou que o fogo atingiu rapidamente o quarto da vítima, que morreu carbonizada. O sinistro aconteceu por volta das 18h40, e atingiu parcialmente uma casa situada à Avenida Padre Manoel da Nóbrega, Nº 781, entre as Ruas Leopoldo Machado e Jovino Dinoá, no Jesus de Nazaré.

Familiares do idoso relatam que ele era cego e recentemente havia sofrido um AVC. Domingos Moraes teria ficado preso no quarto que foi destruído pelo fogo.

Homens do Corpo de Bombeiro conseguiram evitar que as chamas se alastrassem para os outros cômodos do imóvel.

Fotos: Jair Zemberg

Tribunal Superior Eleitoral aprova pacote de regras para as eleições de 2018.

Entre as resoluções, que podem ser alteradas até 5 de março, estão itens relacionados a prestação de contas, calendário eleitoral, registro de candidaturas e pesquisas de intenção de voto.

Outros temas ainda devem ser discutidos, como o voto impresso, estabelecimento de cotas para as mulheres nos diretórios dos partidos e cláusula de barreira para distribuição do fundo partidário.

A expectativa é que os ministros devam rediscutir o teto de autofinanciamento para as campanhas. Uma das resoluções aprovadas impõe limite de até 10%.

O documento, porém, foi preparado com base no veto do presidente Michel Temer a uma regra aprovada pelos congressistas, que haviam limitado as doações de pessoas físicas a dez salários mínimos para cada cargo em disputa.

Em Macapá: Indonésia e Mongólia disputam a Copa Marcílio Dias

As seleções da Indonésia e Mongólia vão disputar a grande final da 54ª edição da Copa do Mundo Marcílio Dias, em Macapá. O jogo acontece nesta sexta-feira, 22, na arena da Praça Nossa Senhora da Conceição, bairro Trem, com inicio às 18 horas.

A competição deste ano reuniu 172 seleções de diversos bairros da capital. Segundo a Associação de Solteiros e Casados do bairro Trem, instituição responsável pelo torneio, além do troféu, a seleção campeã receberá R$ 15 mil e a vice campeã ficará com R$ 7,5 mil. Os organizadores anunciam premiação também para os árbitros, a torcida mais animada e a equipe mais organizada.