Em Brasília, senador Capiberibe recorre a Sarney Filho para tratar questões ambientais do Amapá

O senador pelo Amapá João Alberto Capiberibe (PSB) esteve semana passada com o ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, e sua equipe técnica, para tratar de dois assuntos importantes: a retirada de 23 mil metros cúbicos de madeira da Reserva Extrativista do Rio Cajari e a Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Salto Cafesoca. Em novembro do ano passado, o senador esteve com o ministro para tratar da Resex e na semana passada no Ibama para falar da PCH.

Notícias– As notícias, em relação aos dois assuntos, são boas. Sobre a Resex, as pendências estão sendo sanadas, para que a madeira fique na responsabilidade da Associação de Moradores. “O ministro cumpriu o que nos prometeu e agora o ICMBio, junto com o Ibama, vão nos fornecer um documento com tudo que a comunidade precisa fazer e vamos agilizar os procedimentos. Essa madeira foi retirada para liberar a passagem para o linhão de Tucuruí até Macapá, só que há três anos ela está depositada a céu aberto e se deteriorando”, explicou Capiberibe.

Já a PCH Salto Cafesoca, na reunião com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em Brasília, o senador discordou da decisão do órgão que para seguir em frente com as obras da PCH seria necessária anuência do Governo Francês.

Licença–  Durante o encontro, o ministro informou que o Ibama já autorizou a emissão da Licença Prévia. Assim, a expressa executora já está providenciando os entraves para que logo sejam emitidas as Licenças Ambiental e de Operação. “A expectativa é que as obras comecem no segundo semestre e vão gerar centenas de emprego”, assinalou o senador Capiberibe.

Vale lembrar que a PCH Salto Cafesoca, é administrada pela SAPEEL, e compreende 7,5 megawatts de energia, na região do Oiapoque, no Amapá.

 

Em Macapá, polícia investiga morte de adolescente ocorrida no domingo

Ainda é um mistério para a polícia e para os seus  familiares, a morte da estudante Gabriela Fonseca dos Santos, 16. “Gaby”, como era conhecida, morreu neste último domingo, 4, pela manhã no  Hospital Estadual de Emergências (HE).

Familiares da adolescente, relatam que a garota teria saído com autorização da mãe na companhia de uma tia paterna para irem a uma festa de aniversário. No entanto, as duas foram para uma boate localizada no bairro Santa Inês.

Relatos– Ainda segundo relatos de familiares, por volta das 5h30, “Gaby”, deixou a boate na companhia da tia e de outras pessoas em um carro. O veículo teria seguido para o bairro Pedrinhas, zona sul. Lá, em uma lanchonete, a moça teria passado mal momento em que teria se ausentado dizendo que iria urinar. Após algum tempo, “Gaby” foi encontrada desmaiada –levada ainda com vida para o HE, a menina não resistiu e morreu.

Laudo – A Polícia Técnico-Científica (Politec) deverá expedir o laudo da necropsia em 30 dias, que vai apontar a causa morte da adolescente. As investigações ficaram a cargo da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa (Decipe).

Em Cuiabá, especialistas em Fake News buscam métodos para evitar sua propagação durante as eleições

Especialistas em tecnologia, comunicação, Polícia Federal, Abin, e magistrados da Justiça Eleitoral, entram no segundo dia do Fórum Nacional que discute a propaganda eleitoral nas mídias sociais, com ênfase no combate às fake News nas eleições 2018.

O encontro realizado na cidade de Cuiabá, capital do Mato Grosso, ganhou repercussão internacional, pela importância do assunto, que vem pautando as reuniões da Justiça Eleitoral, bem como as principais siglas partidárias, devido aos transtornos que podem causar no pleito eleitoral.

Mídias sociais
O evento que reúne mais de 150 profissionais, conta com a presença de representantes das empresas que atuam na área das mídias sociais, e em suas declarações nas plenárias, demonstraram estarem alinhadas às ações da Justiça Eleitoral, principalmente, quando se trata de decisões liminares voltadas a propaganda eleitoral.

O que dizem
Representantes do Facebook, do Twitter e do Google participaram de um painel intitulado “Como dar efetividade, na velocidade exigida, às decisões liminares”, onde externaram seus posicionamentos.

O gerente jurídico do Facebook, Ricardo Dalmaso Marques, disse que a empresa mantém filtros e monitoramento constante das publicações, que ferem a moral e a pessoalidade. Reforçou que o Facebook respeita a Justiça Eleitoral e a lei brasileira. “Temos dialogado com as autoridades eleitorais e estamos nos preparando para dar ainda mais efetividade ao cumprimento das ordens judiciais eleitorais e contribuir para a integridade das eleições em temas relacionados à Internet”, afirmou o executivo.

O executivo André Zanatta, representante do Google, também reiterou o compromisso da empresa com a Justiça Eleitoral. “O Google entende que as Resoluções publicadas pelo TSE em dezembro de 2017, trouxeram significativos avanços para o processo eleitoral, envolvendo provedores de aplicações de Internet, podendo tornar o processo mais efetivo, resultando em maior segurança jurídica”, declarou.

André Zanatta também citou vários fatores que geram a remoção de conteúdos no YouTube e Google. Segundo ele, em 85% dos processos de retirada de conteúdos que dizem respeito a antecipação de propaganda eleitoral no Google, são efetivados. Mas reforçou que a manifestação do eleitor nas redes sociais não será considerada propaganda eleitoral, o que garante a liberdade de expressão. “O Google está à disposição da Justiça Eleitoral brasileira. Informação se combate com informação”, finalizou Zanatta.

O executivo do Twitter Brasil, Fernando Gallo, foi mais cauteloso, e apenas leu um texto da empresa, reiterando o compromisso da empresa com a segurança, destacando a política de privacidade do micro blog. “Por dia, mais de 523 mil logins de perfis no Twitter de contas suspeitas são bloqueadas”, disse o executivo.

Especialistas
O cientista político Diogo Cruvinel, servidor do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, lembrou que o eleitor segue razões emocionais para compartilhar conteúdos na internet sobre seu candidato. “O comportamento do indivíduo é influenciado pela necessidade de enquadramento social e existe o comportamento de manada”, afirmou.

Para o professor de Direito Eleitoral Diogo Rais, da Faculdade Makenzie (SP), a evolução tecnológica nos leva às eleições, de maneiras cada vez mais digitais, com velocidades e impactos diferentes de antigamente. Conforme o especialista, o desafio de combater as fake News precisa ser enfrentado. “As fake News tentam transformar mentiras em verdades. Um dos caminhos para combatê-las será a educação”, resumiu.

O professor também chamou a atenção sobre os “prós” e “contras”, das Fact Checking – agências especializadas em checagem das notícias e divulgação das informações reais.

Realização
O Fórum é coordenado pelo Colégio de Presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais, que tem como presidente, o desembargador Márcio Vidal (TRE-MT). “Tivemos a preocupação de trazer para o Fórum Nacional os melhores profissionais do país, que estão desenvolvendo trabalhos nessa área”, declarou o desembargador, durante entrevista coletiva.

 

No Amapá, deputado Roberto Góes destina recursos para Estado e municípios       

O deputado Federal pelo Amapá Roberto Góes (PDT) destinou R$ 30 milhões para o Estado em três anos de mandato.

Os recursos são provenientes de emendas individuais propostas por  Roberto Góes. Segundo o parlamentar, os recursos foram destinados para setores como:   infraestrutura, saúde, educação, esporte, segurança pública e turismo.

Disponível– Roberto Góes ressalta que deste total, ainda estão disponíveis para o Amapá cerca de R$ 10,6 milhões para serem aplicados neste ano de 2018. O montante está inscrito em restos a pagar.

“Esse é o nosso papel ajudar o Estado e os municípios com a captação de recursos federais. Estamos fazendo o dever de casa, cumprindo a missão de um deputado federal”, finaliza.

Em Macapá, Ypiranga e São Paulo vencem os jogos do Campeonato Sub-20

Mais dois jogos ocorridos nesta quinta-feira, 1º de março, marcaram o Campeonato Amapaense de Futebol Sub 20.

Os jogos ocorreram no Centro de Treinamento do Trem Desportivo Clube, em Macapá.

 

Na primeira partida o Ypiranga derrotou o MV13 por 3×2. No segundo jogo o São Paulo ganhou do time de Santana por 1×0.

Recomendação – A Federação Amapaense de Futebol (FAF), responsável pelo campeonato precisou alterar a data e o local dos jogos, validos pela 6º, 7º e 9º rodada da competição, atendendo à uma recomendação da Secretaria de Estado de Desporto e Lazer (SEDEL), que precisa realizar reparos no campo de jogo do estádio olímpico Zerão.

Acompanhe como ficou a tabela dos demais jogos do Campeonato Amapaense de Futebol- Sub-20:

Lagoa e Renovação será nesta sexta-feira, 2, as 14 horas no Centro de Treinamento do Trem.

Trem e Nacional será nesta sexta-feira, 2, as 16 horas, no Centro de Treinamento do Trem.

Mangueirão e Combatente será nesta segunda-feira, 5, as 14 horas, no Centro de Treinamento do Santos.

Santos e Cruzeiro será nesta segunda-feira,5, as 16 horas no Centro de Treinamento do Santos.

Reportagem e fotos: Jornalistas Edy wilson Silva e Rosivaldo Nascimento.

No Amapá, desdobramento da Operação Minamata apreende R$ 36 mil na casa de amiga de funcionário da ANM

Dando sequência a Operação Minamata,  a Polícia Federal (PF) apreendeu R$ 36 mil nesta última quarta-feira, 28, durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão. O dinheiro estava na casa de uma amiga de um funcionário da Agência Nacional de Mineração (ANM), o antigo DNPM.

A residência fica localizada no bairro Santa Rita, em Macapá. A PF não divulgou o nome do servidor, mas segundo investigações o dinheiro é proveniente de propina.

Presos– Segundo a justiça, continuam presos preventivamente o superintendente da Agência Nacional de Mineração, Tiago da Justa Ribeiro e os ex-deputados federais Antônio da Justa Feijão (tio dele) e Badú Picanço. Os três estão no Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), acusados de receber vantagens para liberar a exploração ilegal de ouro, e até de influenciar na nomeação de dirigentes da agência.

Em Santana, alunos reclamam do estado de abandono da Escola Estadual José Ribamar Pestana

Funcionários e alunos da Escola Estadual Professor José Ribamar Pestana, em Santana, reclamam do estado de abandono em que o estabelecimento se encontra.

Segundo denúncias, os problemas mais graves são: Telhado caindo, paredes danificadas, infiltrações e salas de aulas sem lousas adequadas.

Em nota, a Secretaria de Estado da Educação (Seed) justificou que a ordem de serviço para a manutenção e reforma predial já foi assinada e a empresa contratada realizou nesta última quarta-feira, 28, uma vistoria técnica na escola, com previsão de inicio das obras na segunda-feira, 5.

Infiltrações– Os alunos garantem que as infiltrações já danificaram móveis e materiais escolares e a estrutura física está comprometida. A escola atende cerca de mil estudantes do fundamental II, ensino médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

O investimento nas obras de manutenção será de R$ 180 mil.

 

No Amapá, Governo decreta situação de emergência e envia força-tarefa ao Bailique  

O Governo do Amapá decretou no último dia 23 de fevereiro, Situação de Emergência para regiões atingidas pelo fenômeno “terras caídas” nos municípios de Macapá e Itaubal.

O Estado vai enviar ao Arquipélago do Bailique, uma força-tarefa composta por cerca de 60 pessoas, entre gestores e técnicos, que irão participar de uma audiência pública com a comunidade no dia 10 de março.

Imprensa– Nesta quinta-feira, 1º de março, às 10 horas, representantes dessa força-tarefa receberão a imprensa, no Comando Geral do Corpo de Bombeiros do Amapá (CBM/AP), para falar sobre o assunto.

Os estudos sobre o fenômeno de terras caídas na região do Bailique iniciaram há três anos, depois da criação de um grupo de trabalho formado pela Defesa Civil do Amapá, Imap, Iepa, Seed, Seinf e Sims.

O objetivo foi realizar um levantamento detalhado sobre o número de moradores do distrito, que estão sendo impactados pelo desbarrancamento das margens do rio. Em outra frente, os órgãos de pesquisa ficaram encarregados de fazer o mapeamento dos danos e projeções futuras do avanço do fenômeno nas ilhas do distrito.

Degradação– Os pesquisadores já realizaram algumas projeções com dados da Base Cartográfica do Amapá, levantados pelo Exército Brasileiro. Simuladas em computador, as imagens consideraram variáveis como sedimentação, maré, nível de elevação, ação antrópica (desmatamento, impactos da circulação de embarcações e retirada da mata ciliar). A projeção indica um avanço de dez metros, por ano, na margem do rio.