No Amapá, STJ nega pedido de liberdade ao soldado Kassio de Mangas

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve a prisão preventiva do policial militar Kassio de Mangas dos Santos, de 30 anos, que confessou ter assassinado em agosto do ano passado sua companheira Emily Karine Miranda, de 29 anos, que era cabo da Polícia Militar (PM).

A defesa do policial havia recorrido ao STJ após ter dois pedidos negados pelo Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap). A terceira negativa foi feita pela Quinta Turma do Superior Tribunal.

O pedido do novo recurso havia sido feito em 19 de março, mas a publicação no Diário Oficial foi só foi realizada na última segunda-feira (8). Mangas está preso no Centro de Custódia do Zerão. Recentemente ele foi levado ao Ciosp do Pacoval após ter sido acusado de desacatar e ameaçar uma agente penitenciária.

O ministro Reynaldo Fonseca, relator do caso no STJ, manteve a prisão afirmando que a medida garante a ordem pública e que não houve constrangimento ilegal na prisão do militar. A negativa do Habeas Corpus foi seguida pelos ministros Jorge Mussi, Ribeiro Dantas, Joel Ilan Paciornik.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *